Inteligência artificial cria descrições de produtos para e-commerce

Criada por ex-funcionário da Amazon, empresa promete criar conteúdos únicos para cada produto e com linguagem personalizada para cada cliente usando IA

Inteligência artificial cria descrições de produtos para e-commerce

Uma startup quer usar inteligência Artificial para ajudar vendas na internet. A Hypotenuse AI foi criada com o objetivo de ajudar vendedores a diminuir gastos e ganhar mais tempo automatizandoa descrição de produtos. Segundo a empresa, esse serviço tem potencial para levar os clientes ao "funil de vendas", ajudando a construir uma marca melhor e mais rentável.

Ainda de acordo com a Hypotenuse AI, cerca de 20% das falhas nas vendas são, potencialmente, causadas pelos textos pouco claros ou até mesmo ausentes dos produtos. Além disso, eles garantem que cada descrição será única e específica para o produto, impulsionando as vendas e melhorando o SEO (Search Engine Optimization).

 

O projeto 

De acordo com o fundador da Hypotenuse IA, Joshua Wong, a visão computacional e geração de linguagem natural são muito avançadas neste projeto, e são usadas para que o sistema entenda bem as imagens dos produtos. Além disso, a plataforma também usa metadados do produto para ajudar a gerar o texto.

A ideia é que a máquina que gera essas descrições seja cada vez mais fluente, e que os textos sejam criados de uma forma cada vez mais humana.

Para o desenvolvimento do sistema, a startup está construindo seu próprio conjunto de dados para auxiliar ainda mais no treinamento dos modelos de linguagem. Com isso, o objetivo é conseguir desenvolver um conteúdo bem mais específico para cada imagem e para a marca da empresa que está anunciando.

"Nós também temos padrões de estilo se eles quiserem que o texto seja mais atrativo, poético ou luxuoso, mas o interessante é quando as empresas querem que ele seja feito sob medida para seu próprio estilo de escrita", diz Wong.

A Hypotenuse AI ainda está no período de integração com os primeiros clientes. Eles promovem um treinamento e depois disso as empresas conectam o serviço como um software. Quando familiarizados com o sistema, os clientes apenas carregam as imagens dos produtos direto para a plataforma da startup ou apenas enviam metadados dos produtos que já existem.

 

Fonte: Olhar Digital

10/08/2020

Compartilhar